Um mês depois da enchente famílias continuam alojadas em ginásio de esportes em Buri.

Cinco famílias, cerca de vinte e duas pessoas entre elas,  nove crianças, uma de 02 anos "especial" e uma gestante, dividem há um mês, o mesmo espaço no ginásio de esportes Silvério Monteiro no bairro Além Linha, desde que foram obrigados a deixar suas casas, invadidas em janeiro pela enchente.

Durante a manhã dessa quarta feira (17) eles estiveram reunidos no plenário da Câmara Municipal com o Promotor  de Justiça Marlon Fernandes e também alguns políticos, para um TAC " Termo de Ajuste de Conduta", que garantiria que a Prefeitura, tomaria as devidas providências com relação aos problemas enfrentados pelas famílias.

Nem a prefeita Renata Arato, secretário ou representante da prefeitura compareceu. A prefeita Renata Arato disse desconhecer a audiência e que não recebeu nenhuma intimação. O mesmo foi informado pela secretária de Assistência Social Raquel Almeida. Não conseguimos contato com o secretário da Defesa Civil Vanderlei de Freitas.

Raquel Almeida informou ao BC que inicialmente, foi dado amparo e suporte a todas as famílias vítimas das enchentes, com a distribuição de cestas básicas, produtos de limpeza para higienização de residências à aqueles que conseguiram retornar, marmitas, água entre outros. Para as famílias que estão alojadas no Silvério Monteiro, teria sido oferecido "aluguel social" sem limite de valor segundo Raquel. Segundo elal, a indisponibilidade de casas para locar em Buri complicou ainda mais a situação, porém, uma das casas encontradas no Jd. Brasil, teria sido recusada, devido a preferência deles pelo bairro São José. A partir daí, após novos contatos por telefone para certificarem se os mesmos haviam encontrado casas no bairro da preferência, a Assistência Social teria sido informada de que não precisaria mais contacta-los e que dali em diante a conversa seria judicial.

Renato Aparecido de Lima, porta voz das famílias desabrigadas disse que a proposta oferecida pela Defesa Civil e Assistência Social era de colocar duas famílias na primeira casa que apareceu, com apenas 02 cômodos. A segunda, apesar da insistência de que não, havia um morador dentro, que segundo Renato Lima teria alugado o imóvel naquela manhã. A terceira casa era cortada por esgoto a céu aberto e devido a crianças, inclusive uma bebê de 02 anos e especial, a família se recusou ficar ali.

Renato Lima falou que quer ajuda da prefeitura, conforme  teria sido prometido à eles, na reconstrução de suas casas, no levantamento dos terrenos, já que segundo ele, a prefeitura abriu uma rua com nível mais alto que o das residências e em decorrência disso, alaga toda vez que chove, e água encanada, já que o poço utilizado por eles estaria contaminado.

A audiência dessa quarta feira (17) não pode ser concluída e o caso está nas mãos da Promotoria.

Por Buri Conectado




Um mês depois da enchente famílias continuam alojadas em ginásio de esportes em Buri. Um mês depois da enchente famílias continuam alojadas em ginásio de esportes em Buri. Reviewed by Buri Conectado on 23:46:00 Rating: 5
Comentários
0 Comentários

Featured Video