Servidores apontam vereador e secretário de obras por suspeita de peculato apropriado.


Desde que o assunto relacionado a grama passou a ser especulado na cidade o Buri Conectado vem acompanhando a repercussão e buscando informações a respeito. Mas foi na semana passada após nos procurar, que o servidor exonerado Silas Albuquerque mencionou sobre o assunto e incluiu-se como testemunha ocular no caso da grama.

O objetivo do ex servidor era relatar os motivos que segundo ele,  teriam motivado o prefeito Omar Chain a registrar um boletim de ocorrência no início de setembro, impedindo-o de frequentar o Paço Municipal. Reveja

Foi ai que Silas Albuquerque - que alega 'saber demais' - mencionou sobre a grama.

O agora ex servidor disse ter visto [em 2017] quando o vereador Renato Vieira Cassú teria pedido ao então secretário de obras Claudio de Oliveira 'Claudião', que levasse parte da grama que estava sendo plantada na extensão da ciclovia - bairro da Capelinha - até sua propriedade que fica no mesmo bairro. 

Segundo Silas Albuquerque o secretário teria dado a ordem para que os funcionários atendessem ao pedido do vereador e levassem a grama até sua propriedade. Ainda segundo ele, foram várias viagens - aproximadamente trinta - levadas por duas máquinas Bobcat. 

Dos dois operadores da Bobcat, um confirmou nesta segunda feira (21) ao Buri Conectado que levou várias viagens de grama até a propriedade do vereador Renato, atendendo segundo ele, a ordens de Claudião.

Assim como Silas Albuquerque, o operador que preferiu manter sua identidade em sigilo, disse que teria sido ouvido pela Polícia Civil e relatado sobre o caso. 

Ele disse ainda que, assim que o vereador teve conhecimento de que ele [operador] prestaria esclarecimentos à Polícia, teria o contactado e orientado-o a não falar a verdade e que após ter prestado depoimento, passou a sofrer represálias do secretário de obras.

" ... hoje estou trabalhando aqui no aterro, no lixão por um motivo, fui intimado pelo delegado para prestar esclarecimentos a respeito da grama que foi levada do depósito da prefeitura para casa de um vereador. Cumpri meu papel de cidadão. Depois dizem que não há retaliamento" reclamou o operador num vídeo gravado recentemente e enviado ao BC.

Nós entramos em contato com o segundo operador que segundo informações também teria levado grama a propriedade de Renato, mas ele não nos retornou.

Baseado nas informações a que o Buri Conectado teve acesso, pelo menos quatro pessoas [servidores] foram intimadas a dar esclarecimentos a Polícia a respeito da grama.Ainda segundo informações a Polícia investiga se houve ou não, Peculato Apropriação. 

 Art. 312 do Código Penal - Decreto Lei 2848/40

CP - Decreto Lei nº 2.848 de 07 de Dezembro de 1940 Art. 312 - Apropriar-se o funcionário público de dinheiro, valor ou qualquer outro bem móvel, público ou particular, de que tem a posse em razão do cargo, ou desviá-lo, em proveito próprio ou alheio: Pena - reclusão, de dois a doze anos, e multa.


Ao Buri Conectado o delegado Dr Paulo R. Fonseca confirmou que havia uma apuração sobre o caso, mas não entrou em detalhes. 

O que disseram os citados.

Sobre o que disse Silas Albuquerque o vereador Renato Vieira Cassu respondeu que teria ouvido dizer que ele [ex servidor] teria denunciado o secretario de obras, por conta de ter sido exonerado após sindicância. Ele disse ainda que o objetivo de Silas é 'queimar' a atual administração e o responsável pelo setor do qual ele foi exonerado.

Aparentemente incomodado com nosso questionamento o vereador disse que, aquilo que for levantado segundo ele, na tentativa de denegrir sua imagem, terá de ser provado . Ele nos sugeriu ainda verificar os motivos que levaram a exoneração de Silas Albuquerque, antes de darmos credibilidade as suas acusações.

"Se ele tem problema com o Claudião ou o Jonatas ou sei la quem, não acho interessante envolver o meu nome. Vocês já publicaram um áudio sem minha autorização, agora questionar a minha integridade sem provas é complicado, ainda mais vindo de um ex funcionário que pelo que falaram esta fazendo tratamento no caps e revoltado por perder o seu serviço" [SIC].

Renato atribui as acusações ainda a um movimento político que tem segundo ele, intenção de desaboná-lo frente ao trabalho que vem desempenhando no Legislativo e negou ter pedido a grama. O vereador disse que tem conhecimento sobre as especulações e informou não ter sido procurado para dar esclarecimentos/ e ou depoimento o que pra ele, confirma que a Policia não encontrou evidências nas acusações.

Durante a tarde dessa terça feira (22) o secretário de obras Claudião negou ter  autorizado envio de gramas ao vereador e atribui as acusações ao fato de cobrar trabalho de alguns funcionários que segundo ele, não cumprem suas obrigações adequadamente.

O secretário disse que teve conhecimento de que o vereador havia comprado a grama - particularmente - e que não acredita que tenha saído do depósito.

Um outro motivo para revolta de alguns funcionários segundo Claudião, estaria ligado a ele ter proibido serviços particulares remunerados, praticados por funcionários durante expediente - os chamados 'serviços por fora'.

Sobre a possível perseguição, Claudião disse que o funcionário em questão é ajudante geral e que após sindicância o servidor foi reposicionado às atividades competentes ao cargo de ajudante geral, nada mais.

Imagem ilustrativa/ internet
Por Buri Conectado

Servidores apontam vereador e secretário de obras por suspeita de peculato apropriado. Servidores apontam vereador e secretário de obras por suspeita de peculato apropriado. Reviewed by Buri Conectado on 22:14:00 Rating: 5
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário

Featured Video